"Vigilância e Espera" como forma de tratamento

Como alguns sabem, eu estou há dois anos apenas observando meus tumores, estou livre de qualquer tipo de tratamento e medicamento. Eu sou um tanto quanto radical no que se refere a opções de tratamento ao ponto de, se me dessem a chance, escolheria logo o mais agressivo pra ficar livre o mais rápido possível da mazela que eu tiver. Vocês podem imaginar que no começo, ao ver que eu ainda tinha uns centímetros cúbicos de tumor para derrubar sem nenhum medicamento, eu fiquei um tanto quanto paranóica, né?

Como pode existir uma linha de tratamento que se resume a fazer os exames e visitar aos médicos periodicamente? - eu me perguntava.

Pois é justamente este tratamento um dos mais bem sucedidos, com uma probabilidade de 10% de falha, de acordo com este estudo deste ano (2014) que traduzi e que vocês podem ler em inglês aqui:

A política de "vigilância e espera"como primeira linha de tratamento para tumores desmóides extra-abdominais. 
Briand S, Barbier O, Biau D, Bertrand-Vasseur A, Larousserie F, Anract P, Gouin F.

INFORMAÇÕES PRIMORDIAIS: Tumores desmóides extra-abdominais são raros, neoplasmas localmente agressivos, sem potencial metastático. Não há um consenso claro quanto ao melhor tratamento. Os resultados desapontadores dos tratamentos atuais e a habilidade dos tumores desmóides extra-abdominais de estabilizar espontaneamente tem, gradativamente, chamado a atenção para um tramamento mais conservador. O objetivo deste estudo foi avaliar uma conduta de "vigilância e espera" como primeira linha de tratamento para tumores desmóides extra-abdominais.
MÉTODOS: Este estudo retrospectivo desenvolvido em dois centros envolveu 55 pacientes com um tumor desmóide extra-abdominal comprovado histologicamente. O desfecho primário foi a probabilidade cumulativa de abandono da política de "esperar para ver". Esta política incluiu o controle agressivo dos sintomas. Nós conduzimos uma revisão de séries relevantes publicadas que aplicaram a estratégia de vigilância e espera.
RESULTADOS: A probabilidade cumulativa de abandono da política de vigilância e espera foi de 9,6% no último acompanhamento. Parada espontânea do crescimento do tumor foi observado em quarenta e sete pacientes (85%) ao longo do curso do estudo. Metade dos tumores foram estabilizados em um ano, e um potencial para aumentar para além de três anos, foi um evento esporádico (um caso). Novo crescimento foi encontrado em 2 pacientes (4%).
CONCLUSÕES: A política de "vigilãncia e espera" é um tratamento efetivo de primeira linha para pacientes com tumor desmóide extra-abdominal primário ou em recorrência. Estes tumores tendem a estabilizarem espontâneamente, geralmente após um ano de evolução, e a probabilidade cumulativa da falha desta linha de tratamento é de 10%.

This entry was posted by Carolina Menezes. Bookmark the permalink.

Leave a Reply