A eficácia do Meloxicam como tratamento para Tumores Desmóides

Oi, gente! Como tá todo mundo?

Hoje venho com um estudo muito bom que analisa a eficácia do meloxicam, aquele antiinflamatório que geralmente é indicado como forma de tratamento associado ao tamoxifeno (eu inclusive tomei este combo), de acordo com a quantidade da beta-catenina no tumor desmóide. 

É um estudo legal para apresentar ao médico e ver com ele se seria uma opção de tratamento. :)
Lá vai:


Autores: Hamada S1, Urakawa H, Kozawa E, Futamura N, Ikuta K, Shimoyama Y, Nakamura S, Ishiguro N, Nishida Y.Author information a.. 1Department of Orthopedic Surgery, Nagoya University Graduate School and School of Medicine, 65 Tsurumai, Showa, Nagoya, Aichi, 466-8550, Japan.


RESUMOEste estudo visou determinar a prevalência da  beta-catenina positiva em níveis nucleares, como fator prognóstico em pacientes com tumores desmóides (TDs) com meloxicam, um inibidor seletivo de ciclooxigenase-2 (COX-2). Entre 2003 e 2012, 31 pacientes consecutivos com TDs extraabdominais esporádicos foram prospectivamente tratados com meloxicam como uma terapia sistêmica. O exame imunohistoquímico foi realizado (...) para quantificar a expressão nuclear da beta-catenina e Ki-67 e a expressão citoplasmática do COX-2. Todas as características clínico-patológicas, incluindo a intensidade de coloração imunihistoquímica, foram analizadas em relação ao seu valor de prognóstico para o tratamento com meloxicam.Dos 31 pacientes com este tratamento, houve 1 com remissão completa (RC), 7 com remissão parcial (RP), 12 com estabilização da doença (ED) e 11 com doença progressiva (DP). Uma maior expressão nuclear da beta-catenina foi significantemente associada com uma resposta baixa ao medicamento(DP e ED). A positividade da COX-2 e Ki-67 e nenhuma das outras variáveis ​​clínicas foram associadas com o prognóstico. A expressão nuclear da beta-catenina pode predizer a eficácia do meloxicam como tratamento para pacientes com TD esporádico.

PMID:  24390670  [PubMed - indexed for MEDLINE]

Como vocês podem ver, pacientes com maior quantidade da beta-catenina no tumor, definida a partir do exame imunohistoquímico, têm uma resposta mais baixa para o meloxicam, enquanto que pessoas com menos beta-catenina têm resultados melhores, inclusive um dos pacientes teve remissão total da doença! 

Um Beijo!

This entry was posted by Carolina Menezes. Bookmark the permalink.

Leave a Reply